• Gabriela Mund

Carta Urgente aos Adultos Índigo


Precisamos conversar de algo muito sério! Precisamos...


Há algumas décadas recebemos de presente uma missão incrível na Terra. Recebemos a missão de preparar a Terra para que as Sementes de Luz pudessem vir e fazer então brilhar nosso planeta. Passamos por uma intensa preparação, recebemos muitas arma, passamos por horas incontáveis de processos físicos e espirituais para que pudéssemos chegar aqui e fazer o que nos cabia fazer. Recebemos instruções dos mais altos comandos da espiritualidade. Fomos realmente muito treinados! Fomos preparados. Dentro daquilo que cada um de nós desejou fazer, desejou realizar, assumimos a responsabilidade de vir e fazer a nossa parte. Então escolhemos nossas famílias na Terra e recebemos a permissão de voltar.


Entretanto, muito além da nossa missão com o coletivo, com a preparação da terra para as sementes, muito além do bem comum, nos responsabilizamos em nos cuidar, em nos melhorar. Garantimos à Eles que faríamos a nossa parte na cura de nossa alma e do nosso corpo físico, alinhando nossa energia à energia do Todo e honrando esse Planeta que nos recebeu de forma tão gentil e com tanto amor.


No nosso acordo, antes de assumirmos essa missão, formos avisados das dificuldades e mesmo assim aceitamos, por acreditávamos que seriamos capazes.


O tempo passou, chegamos aqui para mais um etapa e sentimos que tudo está errado. Falta algo... temos tudo mas no fundo, nos falta o principal. Não nos falta coragem, não nos falta amor, não nos falta força, mas diante de tantas coisas que vemos por aí, diante desse mundo que se apresenta diante de nós, nos falta fé. Não nos parece ter solução. As mudanças precisam ser tão grandes e tão significativas, e ainda tão urgentes, que a fé foi embora. E com isso, deixamos de acreditar na principal arma que recebemos para vir a este mundo fazer a diferença: deixamos de acreditar em nós mesmos! Esquecemos os treinamento, o que estudamos, o que ouvimos! Esquecemos inclusive das armas que carregamos dentro de nós! Esquecemos e por isso, não acreditamos possuí-las!


Somos a parte material, física, desse grande plano de evolução. Aqueles que vieram fazer e acontecer, vieram provar ao mundo que vale a pena e que tudo é possível. Viemos transformar! Viemos como esperança, como força de batalha para que o novo possa chegar! Para que a Luz possa brilhar! Mas não viemos sozinhos! Jamais Eles nos mandariam batalhar por algo tão importante sozinhos! Existe um verdadeiro exército por trás de nos, e esse exército assumiu, junto conosco esse compromisso de transformar, de mudar padrões, de aceitar o novo, para que a polaridade do planeta pudesse ser invertida.


Mas infelizmente nos esquecemos de tudo isso. Corremos contra o tempo e vivemos em busca de algo que não completa, e jamais completará nossas vidas. Estamos ainda imersos nos problemas da vida, ao invés de estarmos vivendo a vida. Sim... eu sei... sabíamos desse desafio também. Não está fácil para ninguém, todos estamos sendo transformados, lapidados... Todo esse processo machuca, dói, fere, mexe no que estava guardado há muitos séculos, mas nos comprometemos a nos curar, a nos transformar, para depois podermos agir mais efetivamente. É um processo, e como todo processo, ele vai passar. Ele vai acabar, mas precisamos encará-lo de frente, com fé, para não sucumbirmos aos problemas que surgem. Sucumbir e retornar nesse momento não é o desejável por nossos amigos que nos confiaram essa missão, e nem por nós mesmos, essa essência divina que existe dentro de nós e que sabe do nosso potencial.


Precisamos viver o hoje. Saber que hoje estamos vivos e hoje podemos fazer mais por nós mesmos, simplesmente acreditando que tudo pode mudar.


Mudança... essa é a palavra. Precisamos mudar! Precisamos aceitar que viemos para algo maior, precisamos reconhecer nossa parte nessa etapa... Saudades? Todos sentimos! Medo?

Todos sentimos! Desespero? Todos em algum momento sentimos. Mas que tal encararmos esse momento todo como algo desafiador, aos invés de desesperador? Um desafio a que nós mesmos nos colocamos a prova todos dias, e nosso maior desafio é vencermos a nós mesmos, a nossos padrões de pensamento, as nossas feridas da alma para então, enfim, podermos chegar onde precisamos chegar.


Não desistam Adultos Índigos! Olhem essas crianças por aí...


Elas precisam de nós! Somos os pais, mães, professores, cuidadores, tios, parentes de todos os graus... e estamos aqui para cuidar, para permitir que sonhem, que criem, que imaginem, que acreditem em magia, e tenham a certeza que eles são as sementes de luz que estamos esperando para fazer a diferença. Eles, essas crianças cada dia mais doentes, apáticas e problemáticas estão reagindo a vibração em que estão inseridas, e por isso, antes de cuidar deles, precisamos cuidar de nós. Vamos! Precisamos fazer a lição de casa, para depois podermos ir pra rua brincar. Precisamos agilizar! Eles estão crescendo e o tempo está passando... Tenho certeza que uma galerinha que adora voar em asas de papel, misturar água com tinta e brilhos, desenhar, pintar, correr, gritar, sonhar nos espera para comandar a brincadeira.


Não deixemos o tempo passar em demasia, ele não volta! Eles vão crescer, e ele não perdoa... façamos a nossa parte para que possamos lembrá-los da parte deles. Deixemos a vida moderna de lado e busquemos o que é verdade, o que é o principal, o que faz parte do verdadeiro propósito.


Há uma imensa quantidade de crianças aguardando por nós... vamos? Só depende de nós!!!!



Gabriela Mund

113 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo