top of page
  • Foto do escritorGabriela Mund

Nunca foi sobre ele… talvez nem sobre mim… era um ciclo, um aprendizado…


Há algumas semanas as pessoas andam me trazendo esse assunto à tona sem nem saberem o quanto é complexo pensar a respeito.


Há quatro anos sozinha, depois de um casamento de quase 14 anos, me deparo com perguntas como: o que tinha de bom nesse relacionamento? Ou ainda… vc escreve sobre tanta coisa, mas porque não menciona o casamento. Talvez eu não estivesse pronta para olhar com os olhos dessa “nova Gabriela”.


Essa nova Gabriela que encara a sensação de vítima de frente e não aceita mais responsabilizar os outros por algo que foi “seu”. Essa nova Gabriela também passou a entender que tudo na vida é um ciclo e hoje compreende que aquele ciclo se encerrou.


Então respondendo aquela pergunta do que foi bom, essa foi a minha resposta:


Ele me deu uma família

Sempre me ajudou quando precisei

Construiu um Lar ao meu lado

Me ensinou o que é “cuidar”

Me mostrou que posso confiar

Me ensinou que pequenos detalhes valem muito

Me ensinou a “me cuidar”

Me apoiou no meu processo de despertar

Foi comigo nesse processo até um determinado ponto

Cuida de mim mesmo quando não está mais comigo

Se preocupa, me ama do jeito dele

Foi um Porto Seguro que nunca tive

Me “via” e ainda me “vê” quando preciso de ajuda

Não me abandonou quando mais precisei

Me mostrou a vida de uma forma diferente

Me mostrou o mundo

Me apresentou novos sabores, novos lugares

Me mostrou o quanto eu tenho “valor”

Me ajuda em tudo, mesmo hoje, desde uma compra de pão num dia mais corrido até uma companhia para ir à praia num dia que não estou legal.


Ele é uma grande pessoa, mas tínhamos um papel na vida um do outro e esse tempo acabou! E eu sou grata pela pessoa que me tornei ao lado dele... ele me ajudou a construir a pessoa que sou hoje... sem dúvida alguma!


Nem tudo foi perfeito, mas esses aspectos foram de verdade, na verdade, ainda são de verdade. Ele ainda caminha ao meu lado no cuidado com os nossos filhos, sempre presente, mesmo que em outra casa e jamais esquece de mim, disso eu tenho certeza.


Sobre o fato de ter acabado? Cumprimos um papel na vida um do outro! Nos apoiamos na construção dessas pessoas que somos hoje. Somos melhores, sem dúvida…


Talvez pudesse ser diferente… talvez se tivéssemos nos encontrado mais tarde… mas aí não seríamos quem somos… sei lá… tem coisas que a gente deixa para o Universo responder.


Mas não canso de dizer a ele: eu te amo! E sempre vou te amar. Conte comigo, do meu jeito, que eu conto com vc, do seu jeito! Não queira que eu faça do seu jeito, já sabemos que não dá certo! Assim como aprendi que não posso querer que faças do meu jeito.


Mas depois de 18 anos desde nosso primeiro beijo, ficou uma linda amizade que nos permite viver alguns momentos juntos com nossos filhos, comemorar e em muitos desses momentos encontrar o amor e a harmonia a que nos propusemos antes de vir para cá!


À este homem que me aguentou tanto tempo (kkkk) minha gratidão por tudo que significamos um para o outro, mesmo que nossos destinos tenham sido separados. Afinal, o que vivemos hoje jamais conseguiríamos se continuássemos juntos…


A solidão nos trouxe maturidade, a dor nos fez crescer e as lágrimas limparam as dores que ainda existiam.


Porque escrevi esse texto? Para que alguém que me lê, possa ressignificar seus ciclos, aceitar o fim de cada um deles e curar as dores para poder viver em paz!!! Ahhh!!! E AGRADECER! A vida é perfeita e organiza os ciclos e seus inícios e fins de forma majestosa.


EU SOU Gabriela Mund

PS: Nossa primeira foto juntos, há muito tempo, num esquenta, indo para o Baturité!


165 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page