• Gabriela Mund

Qual o preço nos cobram por decidirmos ir em busca da felicidade?

Hoje me perguntei qual o preço que cobram da gente pelo fato de querermos ser felizes. Uma vez li, que as pessoas não tem inveja de quem é rico, do carro que o outro tem, da casa, de todas que coisas que se “tem”. As pessoas tem inveja de quem é FELIZ, de quem acorda todos os dias agradecendo pela vida, de quem está tentando fazer o seu melhor e ser o seu melhor, apesar das adversidades.


Quando você decide ser feliz você enfrenta barreiras que muitas vezes não pode ver, mas pode sentir. Sente muitas vezes na pele, no corpo, na alma...

Aquelas relações chamadas “toxicas”, elas não se acabam quando você decide sair delas pelo simples fato de que VOCÊ não era mais feliz e não queria mais viver aquilo, daquele jeito, você precisava mais do que aquilo que tinha.


Vivemos muitas vezes em meio a relacionamentos de todos os tipos que não nos traziam mais alegria, fizemos tudo o que podíamos, dentro daquilo que tínhamos força, capacidade e entendimento, para mantê-lo, mas chega uma hora, em que não é mais possível caminhar carregando um fardo tão pesado, tamanha dor e tristeza no coração, tamanho medo de tudo, tamanha culpa por não ser feliz. Aquele ciclo se encerrou e precisamos ser maduros para compreender esse fato, juntar as nossas coisas e partir... Seguir por aquela porta que se abre, assim que a outra se fecha.


Mas infelizmente, o “outro” não pensa assim, e assim como não quis mudar dentro da relação, continua cego, e agora um cego com raiva. Então o que era muito ruim, por causa das cobranças diárias, dos “jogos”, das mentiras, das manipulações que aconteciam dentro de casa, se transforma numa violência emocional à distancia. Para quem tem filhos, amigos e uma vida em comum, entende bem do que estou falando. As fofocas e as lamentações daqueles que não conseguem enxergar que ali na frente existe um caminho mais feliz, mais leve, mais cheio de vida, às vezes dificultam a caminhada de quem decide seguir.

Felizmente, quem está determinado, segue! Arregaça as mangas, tira as pedras do caminho, corre atrás, luta, e mesmo se machucando muitas vezes, SEGUE, pois sabe, dentro do seu coração, que aquele não era mais o caminho, e de qualquer jeito, seria necessário partir.


Se por acaso você se encontra assim, tirando pedras do caminho e lutando diariamente, saiba que em breve, muito breve, alcançará o que tanto espera. Jamais duvide de si, jamais deixe de ouvir a voz que vem de dentro, e em hipótese alguma desista de você.


O mundo foi feito de cores lindas, sons, magia e uma infinidade de meios e caminhos para ser feliz. Procure o seu, e se não estiver achando, deixe que o Universo conduza a sua vida. Você poderá se surpreender ao descobrir o que existe “ali na frente”. Siga, siga sempre e acredite: VOCÊ MERECE!!!!!


Então, respondendo a pergunta que fiz lá em cima, no título do texto, o preço de ser feliz é trabalhar muito, ignorar os que não querem que você atravesse a outra porta e mesmo caindo, levantar sempre e continuar, com a certeza que você chega lá, por que lá é o seu destino.


Gabriela Mund


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo