• Gabriela Mund

Somos mais do que pais e mães! Somos os guardiões dos nossos filhos!!!

Imagine que uma pluma caiu das asas de um anjo com a missão de clarear e suavizar os que a encontrassem pelo caminho. Essa pluma aceitou a missão e desceu. Ela não sabia exatamente o que encontraria nem muito menos quem encontraria no caminho, mas ela aceitou corajosamente a missão que lhe foi dada. O que ela não sabia, é que ela corria o risco de cair num lugar em que não seria fácil manter a claridade nem a leveza que lhe eram naturais.

Então essas inúmeras plumas brancas cheias de luz caíram na Terra, em meio a um terreno bastante conturbado e de repente, esqueceram do principal, que era apenas ser luz e suavidade por onde passassem. Algumas caíram em locais um bocado sujos e apagaram boa parte da sua claridade. Outras foram colocadas em locais extremamente pesados e com isso precisaram esquecer da leveza e da suavidade.

O grande problema é que essas plumas não vieram equipadas para a batalha, como as outas que vieram antes. Elas simplesmente não sabem brigar, não sabem... por que isso é contra todo um plano divino do qual elas fazem parte. Nesse plano elas deveriam apenas SER quem elas são, e isso bastaria, mas quando encostaram no chão, essa não foi a realidade que encontraram. Um mundo em conflito estabelecido e reforçado por energias que precisavam garantir que nada iria mudar... mas essa realidade precisava mudar. Por isso, para garantir que essas plumas pudessem ser quem são, o Grande Plano Divino enviou antes desses seres, seres um pouco mais resistentes que seriam capazes de brigar e lutar para que essas pequenas e iluminadas plumas pudessem realizar o seu trabalho. Esses seres sim, vieram armados e em seu coração carregavam uma poderosa espada chamada fé!

Hoje, alguns anos depois do início da chegada dessas plumas, podemos encontra-las facilmente por aí, mas elas são apenas uma sombra daquilo que eram. E o que fazer agora? Bom, agora cabe aqueles que vieram antes com as espadas, com os escudos e com a coragem para brigar por eles e para garantir que realizariam a sua missão, cumprir o seu papel.

E para quem está se perguntando, eu respondo... sim... estou falando de nossas crianças. Sim, estou falando de seres que vieram brilhar e realizar a sua missão, amparados por nós adultos, que viemos antes para estudar, aprender para enfim podermos recebe-los em nossas casas e chamá-los de filhos, de alunos, de sobrinhos, de netos.

Os nossos filhos são os Filhos das Estrelas que vieram para cá com a missão de manifestar a luz que nosso planeta necessita nessa Nova Era, e nós adultos? Somos os guardiões dessas crianças que nos foram entregues por um Pai Maior com a suma responsabilidade de fazer-se cumprir o Plano Divino. Mas nos esquecemos disso... Nos perdemos no meio do caminho e encontramos outras prioridades. Começamos a nos envolver na energia que deveríamos combater, e hoje somos reféns do trabalho e do dinheiro gerado por ele. Mas esse não era o nosso papel, essa não era a nossa missão! Viemos antes para garantir que nossos filhos seriam quem precisavam ser.

E hoje? Hoje eles sem encontram desmotivados. Cheios de preguiça. Cheios de dúvidas. Eles não vieram para brigar, principalmente com aqueles que deveriam lhes ser os guardiões. Eles simplesmente não sabem por onde começar. Eles simplesmente não sabem brigar. Eles se isolam em seus mundos, e não conseguem compreender onde foi que erraram. Na verdade eles não erraram... na verdade as coisas não saíram exatamente conforme planejado, e nós adultos precisamos urgentemente nos recordar para que viemos. Precisamos cuidar desses seres com amor, carinho, disciplina. Dar-lhes a possibilidade de realizar um plano que foi traçado há muito tempo. E como fazer isso? Essa é a grande questão!

Talvez trazer-lhes de volta ao contato de boas energias, possa ser um caminho. Mostrar-lhes que sua missão ainda existe e há muito o que ser feito ainda. Que eles estão amparados e seremos seu porto seguro enquanto precisarem. Pais, mães, tios, tias, professores! Esse é o nosso papel! Trazer-lhes um novo mundo para que todos possam desfrutá-lo. Cada ser que está neste planeta possui uma missão, uma luz e uma semente a ser plantada! Lembremo-nos das nossas, pois somos os adultos responsáveis da situação, para que então possamos ajuda-los e tirá-los dessa situação que vivem! Lembrem-se: nós adultos viemos para garantir que eles pudessem fazer a sua parte, mas antes deles realizarem seu plano, precisamos realizar o nosso!

Gabriela Mund



22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo